©2019 by Argênide. Proudly created with Wix.com

Tel: (19) 98115-9167

POESIAS E PINTURAS

ROTA INTERIOR

sou furacão, nascida em desertos férteis de sonhos.

caminho descalça por pensamentos que borbulham.

meu tempo sabe ser infinitamente fugaz.

minha música é voz que se cala em êxtase.

a lua se envaidece ao ver-me refletir seu fulgor.

o sol se aquece de mim.

as estrelas piscam meu nome.

frente ao universo me acolhendo

em prece comovida,

sou gratidão.

 

Campinas, 14 01 16

A ONÇA E O PÔR DO SOL

os últimos raios de sol

sobre a pele pintada, 

aquecem e acariciam seu dorso.

é cedo.

as cicatrizes do tempo não podem mais magoá-la.

ainda assim, lambe uma a uma.

herança de dor.

puro reflexo.

vestígios da memória,

cuidando das crias que partiram

rumo ao próprio entardecer. 

está só.

o homem, ávido de sua força,

de sua beleza e de sua alma,

habita longe dali.

está segura.

o horizonte acolhe seu olhar agateado.

estica-se para despertar da lânguida preguiça. 

com respiração calma e profunda. 

é hora de caçar.

 

Campinas, 08 03 16

A LOBA E O AMANHECER

a manhã transpirava

pelos poros da pequena loba.

raios de sol

transformavam em caleidoscópios

as gotículas da chuva que findava.

com orelhas aprumadas, espera

por pequenos corpos sonoros.

o coração em toada

desafia a paciência,

mas ela persiste, imóvel.

surge o rumor aguardado 

então, salta livre, feliz,

distraída dos olhos que a fitavam.

vira em sobressalto ao perceber

o jovem lobo que se aproxima.

rende-se logo àquele

que será o companheiro da sua sorte.

seduzida, esquece a preia.

descobre-se fêmea.

é hora de dançar.

 

Campinas, 11 03 16

O CAOS DA HUMANIDADE

O LEÃO E A SAVANA

O guardião dos sonhos do guerreiro

repousa os olhos na planície.

Treme o chão da savana

que acolhe seus passos enfeitiçada.

Respiram na mesma cadência.

O vento cálido apetece

seu espírito de flecha.

Contempla a savana

com olhos de caça,

a fim de leva-la consigo.

Ela balança os capins dourados

saudosa da juba plena de sol.

A tarde se deleita em refletir

o rastro de cristais que a chuva

derramou pela manhã.

Brota da terra um hálito quente

que amansa seu coração.

Em paz, o leão medita

no habitat da sua pujança.

O coração pressente

que novo combate se acerca.

Seu pensamento é horizonte

sem tempo de recuar.

O guerreiro sonha.

É preciso partir.

E você guardião,

o que sonha?

 

Campinas, 12 04 16

DUAS VIDAS

fiz dos meus olhos seus olhos

dos meus passos seus passos

falei mais alto enquanto

sua voz adormecia

entreguei-lhe meus braços

com nossos corpos unidos

machuquei minhas mãos

para compensar as suas

tentei viver duas vidas

que não cabiam em uma

chorei todas as suas lágrimas

para que a correnteza

formada nos conduzisse

a um porto calmo

de tardes quentes

como um beijo doce

e pudéssemos voltar a ser

cada qual o espelho

da sua própria vida

e olhar o horizonte

amorosamente

lado a lado.

 

Campinas, 13 11 16

O TEMPO

por que nossas horas não se ajustam?

as minhas são lânguida preguiça,

as suas, galope de guepardo.

por que dialogamos em desconcerto?

minha voz quer seduzir seu silêncio,

e sua música silencia todas as vozes.

por que seu olhar de infinito me escapa?

tenho fome do seu encanto,

e você do meu arrefecimento.

por que seu mistério me aprisiona?

invejo sua determinação,

e você desdenha da minha impaciência.

por que me controla com tanto vigor?

finjo escapar de sua teia,

e você zomba da minha ingenuidade.

por que carrego suas marcas em mim?

ofereço minha pele, enquanto

nela desenha sem piedade.

só minha poesia o instiga.

não fuja,

me abrace,

me acalme,

me liberte, tempo!

 

Campinas, 12 09 16

MINUTOS OCULTOS NA POEIRA

Resgato minutos perdidos em camadas de poeira,

mergulhados no silêncio do pó frio.

Que venham à luz, instantes esquecidos,

a confrontar segundos tão diversos

dos que me foram contados.

Palavras vãs esquecem

que no tempo repousa a história.

O tic-tac dos minutos ocultos na poeira,

me desperta para a verdade.

 

Salto, 19 08 13